Simone de Beauvoir

“Não acredito que existam qualidades, valores, modos de vida especificamente femininos: seria admitir a existência de uma natureza feminina, quer dizer, aderir a um mito inventado pelos homens para prender as mulheres na sua condição de oprimidas. Não se trata para a mulher de se afirmar como mulher, mas de tornarem-se seres humanos na sua integridade.” – O Segundo Sexo
Simone de Beauvoir se estivesse viva, completaria neste 09 de janeiro 106 anos. Filosofa, escritora e militante feminista, Simone revolucionou a academia e tornou-se ícone da luta pela emancipação da mulher.“Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa substância.”

ATO PÚBLICO em repúdio aos programas policiais “NOSSA DOR NÃO É ESPETÁCULO!”

Quando a ética foge aos nossos princípios o resultado é desastroso. A comunicação é uma necessidade, mas quando este direito passa a ser utilizado em prol da exposição da barbárie, o cidadão precisa tomar a frente, levantar a sua voz e cobrar mais qualidade e respeito com relação aquilo que é veiculado nos diversos canais de comunicação. Não somente o programa Cidade 190 necessita de uma reformulação, mas todo programa que faz dos desastres do dia a dia uma matéria de audiência. Não é expondo cenas ou fatos de violência que estaremos caminhando para a resolução das nossas mazelas sociais.

Link do Evento

[COMUNIQUE AÇÃO] Relatoria 02.10.2013

Relatoria – 02.10 – Chapa Comunique Ação

Pautas:

1) Leitura do Estatuto do Diretório Acadêmico Patativa do Assaré

- Encontramos alguns erros ortográficos grotescos na documentação;

Encaminhamentos: Reformular o Estatuto, mudando algumas questões, mediante ao comum acordo dos membros presentes.

2) Questão: Coronel Caracas

- Um guarda veio falar conosco a respeito da estranha movimentação na sala. Informamos que éramos a nova gestão do Dapas e que se tratava de uma reunião. O guarda mencionou um breve histórico de questões subjetivas que levaram a sede do Dapas a ser vigiada sempre que ocorre alguma movimentação estranha;

Encaminhamentos: Escrever um ofício marcando uma reunião com o Coronel Caracas para debatermos a questão do Dapas.

3) Calourada

- Pamella Caula está organizando a Calourada;

Encaminhamentos: Marcar uma reunião com as estudantes Eduarda Carauta e Pamella Caula para debatermos o local, orçamento, segurança e arte gráfica da Calourada.

4) Aulas de Campo/Reclamações de um professor

- Alguns alunos procuraram o Ícaro a respeito das faltas de um professor da Comunicação Social. Como não disponibilizamos de uma grade de professores mais ampla e abrangente, muitos professores estão responsáveis por mais de uma cadeira, para preencher a vaga existente;

Encaminhamentos: Escrever uma nota explicando as queixas dos estudantes e realizar um abaixo assinado a respeito das faltas do professor. Este abaixo assinado será apresentado aos Coordenadores dos cursos. Avaliando o posicionamento da coordenação, passamos para a Diretoria do Centro de Comunicação e Gestão.

5) Estrutura do Dapas

- Listamos os itens móveis e imóveis do Diretório Acadêmico para ter maior organicidade do espaço;

Encaminhamentos: Entrar em contato com a advogada do DAE a respeito dos tramites legais a respeito da reformar o PAP; Ver um possível plano de estrutura com o pessoal da Arquitetura e Urbanismo.

Reunião – 16/09/2011

Ocorreu na sede do DA

Presentes: Clara (por meia hora), Diego, Farley, Felipe, Flau, Natália, Ramó, Vitória…. Part. Especial – Roberta (Yaaaay, #todospiram)

1) Informes:

a. Greve na Educação (Clara fica responsável pela moção de apoio aos professores)

2) Ocupação do DCE:

a. Repasse da reunião de quarta.

b. Condições impostas pela antiga gestão do DCE, preço da carteirinha de estudante, o uso do dinheiro para a calourada.

c. É necessário uma nova gestão. Isso é um fato. Para isso, é necessário uma mobilização estudantil.

3) Eleições do DCE:

a. Debate sobre uma mudança que pode e deve ocorrer no DCE.

4) Eleições do DA:

a. Natália ficou responsável de puxar o processo.

b. Conceitos da atual gestão do Diretório Acadêmico, e as bandeiras defendidas pelo grupo.

Reunião – 09/09/2011

Presentes: Clara (eu ^^), Diego e Ramó.

1) Informes:

a. sobre a reunião do DCE; Ramó repassou tudo o que rolou na dita reunião sobre o DCE, estavam presentes 9 CAs.

2) Balanço da Panfletagem sobre a Calourada:

a. todos concordamos que de certa forma foi positivo. Sentimos a resposta de alguns estudantes, muitos concordaram com tudo que estava escrito no panfleto. Dois optaram por não ir a festa.

b. a burocracia da Unifor com relação a panfletagem. Todos concordamos que a nossa maior força é ainda a passagem em sala de aula e o debate direto com os alunos. Não adianta ficarmos panfletando sem um diálogo com o estudante.

3) Questão DCE:

a. Ramó introduziu o histórico do DCE ao Diego.

b. discutimos a proposta da reunião de sábado. Todos concordamos que não podemos dar as costas para a possível mobilização, então estaremos presentes no dia da mobilização.

Nota: Com relação a isso, Ramó sentiu que de todos os presentes na reunião de sábado apenas dois possuíam uma vontade maior e concreta de mudança. Ficou decidido que devemos aproveitar esse momento de abertura para identificar e mobilizar os estudantes da Unifor que tenham realmente essa vontade de lutar contra a imposição da Universidade.

Por sermos do curso de Comunicação Social, é o nosso dever mobilizar esses estudantes “perdidos” e agregá-los. Para isso, devemos pensar em uma forma de comunicação que seja forte, impactante e que ao mesmo tempo os faça perceber que não estão sozinhos no ambiente acadêmico, que existem pessoas que pensam da mesma forma que eles.

Para esse tipo de mobilização foi discutido algumas formas de propagar nossa mensagem, porém não chegamos em um acordo a cerca de nenhuma. Até porque tínhamos poucas pessoas presentes.

4) Encaminhamentos:

a. entrar em contato com o pessoal do CA de Arquitetura e Farmácia. (Ramó e Diego)

b. pesquisa sobre o material de “lambe lambe”. (Clara)

5) Horário da Reunião do DAPAS:

a. não chegamos a um acordo de fato. Pensamos na possibilidade de duas reuniões semanais, uma seria geral e a outra seria para atualizar aqueles que não puderam ir a reunião geral.

Nota: Eu, Clara, acho melhor postarmos as relatórias na lista e no blog do Diretório. Além de ser prático, pode atrair a atenção de algum estudante para o que foi ou está sendo debatido em nossas reuniões.

 

“E isso é tu-tu-tudo pe-eee-ssoal!!!”

A Calourada Geral e suas Atrações

Com o dinheiro de nossas carteiras de estudante, uma Comissão Gestora, que ocupa o Diretório Central dos Estudantes (DCE), resolve fazer uma Calourada Geral.

A Calourada tem como principais atrações os ícones da música brasileira, Rita Lee e Nando Reis, divulgação na rádio Beach Park FM e Cidade FM, além do contrato com a Marketa Entretenimento. Não questionamos e nem achamos ruim o acontecimento da festa. Nós, do D.A de Comunicação, apoiamos a arte, a cultura e o acesso a elas. Porém, através dessa nota, convidamos todos os estudantes da UNIFOR a refletir e discutir sobre tais informações.

A Comissão Gestora do DCE já ocupa o cargo há mais de um ano e não faz eleições, assim monopolizando a direção da estrutura, que não se aproxima da base, não debate e nem toca por nenhuma luta estudantil. Nossas mensalidades aumentam, temos poucas bolsas de estudo, nossos cursos estão desestruturados e o tripé da Universidade, quebrado.

Nando Reis (cachê R$ 70 mil)

Rita Lee (cachê R$ 96 mil)

 

 

 

 

 

 

 

 

O que o DCE tem a dizer? O que o DCE tem a fazer? Nós estudantes queremos respostas! Queremos também prestação de contas desse evento gigantesco e caro, para que todo o lucro seja, enfim, revertido para os estudantes e para as nossas necessidades.  Quem serão as atrações desse mega evento, os ruivos da MPB ou o nós, os alunos?

Guarda Municipal e estudantes se enfretam no Carnaval

Em protesto contra o aumento da passagem de ônibus, que começou a vigorar no último dia 6, estudantes foram agredidos no Aterrinho da Praia de Iracema. Guarda Municipal descarta motivação política do episódio

faixa que estava sendo levantada nos intervalos dos shows


Era a última atração da terça-feira de Carnaval, mas o que deveria ser um encerramento festivo e tranquilo, marcas das comemorações no Aterrinho da Praia de Iracema, deu lugar à violência. No começo do show da cantora Tereza Cristina no local, já na madrugada de terça para quarta-feira, um grupo de estudantes da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (Uece) foi agredido por guardas municipais.

A confusão surgiu do protesto dos estudantes contra o recente reajuste na passagem de ônibus de Fortaleza. No intervalo dos shows, eles levantaram faixa com os dizeres “Contra o aumento da passagem! Passe livre já!”. Segundo os estudantes, guardas municipais tentaram tirar a faixa. Sem sucesso, a investida dos guardas partiu para sprays de pimenta e golpes de tonfas (espécie de cassetete).

Cecília Feitosa, integrante do Diretório Central de Estudantes (DCE) da UFC, era uma das três pessoas que seguravam a faixa na hora do protesto. Segundo ela, cerca de oito guardas chegaram querendo tomar a faixa sem dizer por quê. Por conta da resistência, sobrou “spray” de pimenta para os estudantes e para quem estava por perto. O jornalista Chico Célio Vieira, que tentou apaziguar o confronto, levou golpes de tonfas.

“Foi uma postura agressiva de ferir a dignidade de forma descabida e desproporcional”, avalia Cecília, que conta ter levado spray nos olhos e nas costas. Segundo ela, até o fim desta semana o DCE da UFC deve entrar com representação no Ministério Público Estadual para apurar o fato. A Câmara Municipal também deve ser acionada.

O estudante de Ciências Socias Rogério Santiago conta que os guardas municipais alegavam estar cumprindo ordens e atesta que não houve diálogo antes do uso dos sprays. “Quando começaram a agredir, o pessoal foi pra cima. Os guardas tentaram de novo tirar a faixa, mas recuaram”, detalha.

O jornalista Tiago Coutinho, atingido por spray, diz que tentou conversar com um dos guardas após a agressão, mas ele se recusou a se identificar e disse apenas que a ordem partiu de quem estava no comando da operação.

Versão da Prefeitura

De acordo com Arimá Rocha, diretor-geral da Guarda Municipal de Fortaleza, a faixa estava atrapalhando o campo de visão de uma câmera de videomonitoramento “dome”, de 360°, e por isso houve a retirada.

Baseado no relato do subinspetor George, comandante da operação, Arimá relata que a reação dos manifestantes foi “áspera, arredia” e um guarda chegou a ser agredido com chutes. Segundo Arimá, após a ação, a ordem de retirada da faixa foi suspensa para evitar novos conflitos.

Por quê

ENTENDA A NOTÍCIA
Desde o último domingo, a passagem de ônibus está mais cara: R$2 a inteira e R$1 a meia. Para os estudantes, o aumento veio em período estratégico. Já a Prefeitura comemora uma das tarifas mais baratas do País.

DETALHES
A faixa contra o aumento da passagem de ônibus foi levantada no sábado e na terça-feira no intervalo dos shows do Aterrinho da Praia de Iracema. Além do protesto, a faixa convocava os estudantes para manifestação a ser realizado no dia 17 deste mês em frente ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), antigo Cefet, na avenida 13 de Maio.

Em repúdio à ação da Guarda Municipal, o DCE lançou nota na tarde de ontem destacando que a manifestação foi “completamente pacífica”. De acordo com Arimá Rocha, 65 sindicâncias foram abertas ano passado contra guardas municipais. Em caso de conduta irregular, o servidor está sujeito a três penalidades: advertência, suspensão de até 90 dias ou expulsão.

Dezesseis câmeras faziam videomonitoramento do Carnaval do Aterrinho na Praia de Iracema.

Thiago Mendes
thiagomendes@opovo.com.br